sábado, 20 de junho de 2015

Oito Princípios que cristãos poderiam adotar em suas atividades públicas

Existem valores cristãos que podem melhorar nosso país?

Sim, existem!

O Cristianismo não nasceu como uma fé teocrática terrena como a fé judaica.  O judaísmo daqueles dias não conhecia a divisão Estado/Igreja, não se concebia uma fé desvinculada das estruturas governamentais. Mesmo Roma ou os Estados Helênicos eram religiosos, embora não contassem com o tipo de estrutura sacerdotal que havia em Israel, neles o rei ou imperador era Divino, e no caso de Roma, o Sumo-sacerdote da fé imperial.

Mesmo assim a fé cristã, como qualquer outra fé, tem valores que sabiamente aplicados podem melhorar o convívio em sociedade. O cristianismo nasce na tradição de valores sociais do rabinismo judaico, herdeiro dos grandes mestres de sabedoria do passado, como os que escreveram o Livro de Provérbios.

A LEI judaica era o cerne da vida religiosa daquele povo, ela encerrava os aspectos morais, éticos, cívicos e rituais da vida. A Lei punia os desvios morais. Porém a gente sabe que lei nenhuma pode criar uma moral de fato, na vida privada, longe dos olhos censores, as pessoas continuarão a dar vazão aos seus desejos (sobre isso ver A Igreja do Diabo, conto de Machado de Assis). Consciente disso, surgiu uma literatura de moralidade, de sabedoria, que aconselhava a prática ética e moral. A ética judaica aconselhava a prática da JUSTIÇA e da EQUIDADE. Administradores, e o homem comum, eram instados a “seguir a justiça” (Provérbios 21:21), a não ter “dois pesos e duas medidas”, ou seja, ética nos negócios e no comércio. No campo moral as pessoas eram aconselhadas a dominar seus apetites, não bebendo ou comendo muito, não mentindo, evitando o adultério, etc.

Os profetas judaicos denunciavam o desiquilíbrio social. Isaías (Is 5:8) critica a prática do latifúndio:

“Ai de vocês que adquirem casas e mais casas, propriedades e mais propriedades até não haver mais lugar para ninguém e vocês se tornarem os senhores absolutos da terra”.

A Lei previa que a terra de Israel era “herança” do povo, e que ela obedeceria a uma “função social” . Ela não deveria ser fruto de especulação. Existiam uma série de regras de utilização, como a que especificava o descanso da terra em anos sabáticos a fim de preservar sua fertilidade. Regras muito sábias e justas.

O cristianismo não tem regras tão específicas sobre temas sociais, mas é herdeiro da literatura judaica e da sua noção de “justiça”. De certo modo, há duas noções de “justiça” no Novo Testamento. Uma relacionada à soteriologia, o estudo da redenção, da salvação. E outra no seu sentido social. A partir desse último sentido, é possível, por analogia, determinar valores sociais aplicáveis.

Lembremos, o Cristianismo tem uma moral como sistema interno e individual de valores e uma ética, que é a forma de atuação numa sociedade plural. A moral sexual é um tema “interno” do cristianismo. Quando ela olha para fora, para o “mundo”, é apenas para analisar e comparar com sua própria prática. Não existe mandamento no cristianismo bíblico que ordene a imposição de valores morais na sociedade ao redor. O cristão entende que ele pratica uma certa moralidade porque o Espírito Santo atua no seu interior produzindo nele a Mente de Cristo, cooperando com sua vontade de operar essa moralidade.

A ética cristã nasce do conceito judaico de justiça e equidade, entretanto, como eu disse, não há ordem direta para uma ética de sociedade porque não havia intenção de construir o reino no mundo. O Cristão antigo era alguém que vivia na iminência do fim do Sistema do Mundo, aguardando o Milênio, em que Cristo seria Rei supremo.

Mesmo assim existem vários princípios que podem, por analogia, ser aplicados nas relações sociais. Antes de começarmos, eu gostaria que você entendesse “lei” no texto como uma “força regulamentadora”. Nesse sentido eu uso “lei” numa relação que está entre a lei judaica e as leis modernas. Você pode entender “lei” como “ a coisa certa”, as “exigências formais”. Vamos lá!

1- A Honestidade como um VALOR não só diante de Deus, mas dos homens.

Queremos evitar que alguém nos critique quanto ao nosso modo de ministrar essa generosa oferta, pois estamos tendo o cuidado de fazer o que é correto, não apenas aos olhos do Senhor, mas também aos olhos dos homens.
2 Coríntios 8:20,21.

Paulo recebera uma “oferta” dos Coríntios nessa ocasião, e considerava que deveria agir de uma modo que fosse transparente diante das pessoas. Esse é um valor de honestidade, de transparência. Esse é um critério excelente nas relações públicas.

2- O conceito de que a LEI se cumpre no AMOR.

“Toda a lei se resume num só mandamento: "Ame o seu próximo como a si mesmo". Gálatas 5:14

Isso pode ser visto de duas formas. A primeira é objetiva, você amando as pessoas cumpre toda a gama de deveres que se deve nas relações sociais com outras pessoas. O “amor” bíblico tem um sentido de ação, ele não é um sentimento como estamos acostumados modernamente. “Amar” significa “agir”, significa aplicar a vontade num sentido benigno, não olhando os atos, mas a pessoa.

A segunda forma de entender isso é subjetiva. Entendemos o “amor” como a aplicação do bem a todos, é assim que se ama. Então, um cristão na esfera pública, age de modo a que seus atos redundem no BEM GERAL. Portanto, a “força moralizadora”, a LEI, cumpre-se em atos que redundem no bem. O bem é o bem geral, pois a Bíblia ensina a amar até o “inimigo”, ou seja, aquele que não tem as mesmas convicções que você. Logo, você só pode “impor” a essa pessoa o “amor”, um ato que redunde em seu bem. Isso é moral num sentido em que você agiu de modo a dar uma satisfação ao seu coração, mas na sociedade é ético, pois você provocou um bem.

3- Fazer na Terra é fazer no céu. Um ato mundano justo é um ato ao próprio Deus.

“Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens”. Colossenses 3:23

Esse princípio ensina que as coisas devem ser feitas com dedicação, com seriedade, mesmo aquelas que reputamos como não religiosas. Nesse sentido, um ato público é um ato religioso e se você age de modo corrupto no mundo, mesmo que suas “intenções” sejam cristãs, você ofende a fé que pensa estar manifestando. Antes das minhas relações com partidos, com grupos, com interesses, está a norma da “lente de Deus”. Aquilo é algo justo? Se não é justo, ou seja, se não redunda no bem geral, não é digno. Logo, é uma ofensa à natureza do Deus que eu digo honrar com meus atos.

4- O amor a Deus se manifesta no amor às pessoas:

“Se alguém afirmar: "Eu amo a Deus", mas odiar seu irmão,é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê”. I João 4:20.

Não existe “dever religioso” em detrimento do ser humano. Você sabe que deve amar o próximo, e que deve amar a Deus. Lembre que amor é ação! Entretanto, você só pode amar a Deus no próximo, de modo que amar a Deus e ao próximo são conceitos que se fundem.

Você ama o próximo agindo pelo bem dele. Por esse princípio, a pessoa pública cristã deve agir mesmo em favor daqueles que parecem estar do outro lado do campo. Seus atos não podem ser apenas pelo interesse da sua igreja ou grupo, precisa ser um ato de bem social elevado. É assim que o cristão torna um país melhor e não tentando aplicar sua moralidade.

5- Sem acepção de pessoas nem favoritismo.

Meus irmãos, como crentes em nosso glorioso Senhor Jesus Cristo, não façam diferença entre as pessoas, tratando-as com favoritismo. Suponham que na reunião de vocês entre um homem com anel de ouro e roupas finas, e também entre um homem pobre com roupas velhas e sujas.Se vocês derem atenção especial ao homem que está vestido com roupas finas e disserem: "Aqui está um lugar apropriado para o senhor", mas disserem ao pobre: "Você, fique de pé ali", ou: "Sente-se no chão, junto ao estrado onde ponho os meus pés”, não estarão fazendo discriminação, fazendo julgamentos com critérios errados? Tiago 2:1-4 

Uma vez eu estava diante de uma pessoa responsável por aplicar a justiça. Eu estava ali injustamente, e ela sabia disso. Ela foi justa comigo, mas me disse que infelizmente não conseguia aplicar a justiça em pessoas com certo poder, embora tentasse isso. É o velho falar popular que “pau que bate em Chico não bate em Francisco”.

Não fazer acepção de pessoas, no sentido bíblico, é não considerar o status ou posição da pessoa quando da aplicação da justiça ou na hora de fazer algum bem. Esse é um grande mal em nosso país, pessoas humildes são punidas e criminosos poderosos não recebem a devida pena. Pessoas humildes passam horas em cadeiras duras ou em pé para receber um atendimento médico precário, enquanto políticos são tratados a pão de ló, com gabinetes imensos e infindáveis regalias. Um cristão que queira aplicar seus valores na sociedade, tem o dever de minimizar esse estado de coisas, tratando as pessoas com equidade, equilíbrio e justiça. As pessoas poderosas ainda terão a honra de sua posição, mas sem os desequilíbrios que vemos. Do mesmo modo o cortesanismo e servilismo barato acaba, pois a balança deve estar sempre equilibrada.

6- A pessoa pública deve ser modelo.

“Pois vocês mesmos sabem como devem seguir o nosso exemplo, porque não vivemos ociosamente quando estivemos entre vocês, nem comemos coisa alguma à custa de ninguém. Pelo contrário, trabalhamos arduamente e com fadiga, dia e noite, para não sermos pesados a nenhum de vocês, não por que não tivéssemos tal direito, mas para que nos tornássemos um modelo para ser imitado por vocês”. 2 Tessalonicenses 3:8,9

Como acima, o ensino aqui é aplicado por analogia. Paulo entendia que a pessoa em evidência, seja quem for, é um modelo. Ele mesmo vivia uma vida pedagógica (sejam meus imitadores!). Esse princípio deve ser regra para qualquer pessoa de expressão, seja em que área for, mas é acima de tudo um imperativo para quem se diz cristão.

Embora ele pudesse ser um “peso” às pessoas, ele preferia trabalhar com as próprias mãos. Isso implica em que cristãos devem trabalhar a dignificar sua função pública e serem produtivos. Se você ocupa um cargo público, deve ter em mente que isso não é para você engordar economicamente, mas para criar um ambiente de bem estar e deve, ainda mais, ter em mente que suas ações têm caráter pedagógico. Um político corrupto corrompe a sociedade em que está inserido. Sempre se fala que nossos políticos são corruptos porque nossa sociedade é corrupta. Isso é verdade, entretanto, eles, os políticos, também possuem a capacidade de produzir uma sociedade mais justa, seja por seus atos diretos, seja pela influência pedagógica de suas ações.


7- Não se intrometer na vida alheia.

“Pois ouvimos que alguns de vocês estão ociosos; não trabalham, mas andam se intrometendo na vida alheia”. II Tessalonicences 3:11.

O sentido aqui é que as pessoas não trabalhavam e ocupavam seu tempo livre em mexericos, falando e julgando a vida dos outros. Vamos pensar esse conceito na vida pública. Antes de tudo, o político deve trabalhar num sentido amplo, para todos, com ética. A moral deve circunscrever-se ao seu círculo. Hoje os políticos cristãos, em sua maioria, estão preocupados em cuidar da vida alheia, tentando criar  nos outros um modelos de moralidade que nem eles têm. Vamos, portanto, trabalhar no sentido ético, com amor, e cuidar da nossa vida no sentido moral, com reflexão.

8- Uma reputação ilibada reconhecida por quem é “de fora”.

“Também deve ter boa reputação perante os de fora, para que não caia em descrédito nem na cilada do diabo”. I Timóteo 3:7.

Esse é um critério para a instituição de um “bispo”, ou seja, uma autoridade eclesiástica.  O princípio claro é de que a pessoa deve ter uma boa reputação diante das que estão de fora. Se um “bispo”, que é alguém que atua na comunidade cristã, precisava ter reconhecimento social, quem dirá o político cristão. Lembrem que atuar no mundo é um ato religioso, conforme o princípio 3 acima. Embora o Cristianismo tenha o embrião do laicismo estatal, na sua essência ele não vê a atividade “mundana” como algo diferente da atividade “sacra”. Laborare est orare (trabalhar é orar), diz o provérbio latino de origem benedidina.

Uma reputação ilibada não se constrói com intrigas de poder, mas com justiça e seriedade. Se a opinião da sociedade tem essa importância dentro da realidade da igreja, quem dirá das ações praticadas em nome dessa igreja na sociedade!

Conclusão

Os conceitos acima, como eu disse, são aplicados por analogia, por comparação. E são uma pequena amostra.  Mesmo assim são valores que perpassam a Bíblia toda e que podem ser úteis. Em vez de se concentrar em alguns poucos pontos de moralidade, o cristão manifesta uma ética que tem em si a semente de sua própria moralidade internalizada, mas que, por ter a justiça como modelo e o amor como guia, acaba por manifestar o bem que é amplamente desejado mesmo por aqueles que não compartilham da mesma moralidade que os cristãos.

Hoje muitos grupos cristãos estão agindo de forma equivocada, pois foram confundidos por personalidades midiáticas que trocaram a ética por alguns poucos conceitos de moralidade e inverteram totalmente a ordem das coisas como sempre foi entendida pela teologia cristã. Ou seja, de que a moral, conforme a Bíblia orienta, é produzida a partir de um relacionamento com Cristo, que ela não existe, a moral cristã, sem essa experiência.



Espero ter sido claro nessa tentativa de por no papel a minha visão “global” do assunto e desejo que esses conceitos possam ajudar a demolir um pouco dos muros que pessoas estão construindo entre cristãos e todos os outros atores da realidade brasileira.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Peça "As Ilusões da Alma" versão atualizada

Versão atualizada em  linguagem moderna e expandida, para a primeira versão ir para : http://isaiasoliveira.blogspot.com.br/2011/07/peca-as-ilusoes-da-alma.html


AS ILUSÕES DA ALMA
(Versão atualizada e expandida na "linguagem de hoje")


          
Alma - Porque você está tão abatida minha alma? Porque dentro de mim há tanta perturbação? Serei como um navio naufragando pelo poder da tempestade ou devo resistir a tantas forças que lutam em meu peito? Ah, como eu gostaria de encontrar a resposta! Mas o que vejo? Vejo a solidão com os braços abertos, como enormes tentáculos de um monstro marinho que despedaçam sua indefesa vítima!

 Nesse mar de desilusões sou um brinquedo das ondas zombeteiras. Num momento elas me lançam sobre rochas que me ferem profundamente, em outro me sufocam nas tempestades! Minha mente gira. Meu coração está desesperado, não há terra a vista nem socorro no horizonte!

 (Pequena pausa, toca uma musica triste, entra um personagem representando a solidão trazendo nas mãos um pano preto, cobre a alma com o pano, retira, passa-lhe no rosto e sai)


Alma- Porque estou aqui e não em qualquer outro lugar, quem me pôs aqui e porque sou quem sou? Sou apenas um fruto do acaso, esse ser cheio de manias, ou existo por alguma vontade superior? Porque eu sinto um vazio tão grande? O que me falta?

(Uma voz oculta declama em voz alta)

O Evangelho está nas ruas, ele clama nas praças,
Anda abraçado aos últimos deste mundo
Vestido nos seus andrajos.

O Evangelho está nas ruas
Porque os templos estão fechados
Pela pesada mão humana
Pela mão insensata dos grandiosos!

O evangelho está nas ruas
Cantando alegre, dançando,
Enquanto nas paredes há falta, há sede...

O Evangelho está nas ruas
Ele canta e dança com uma multidão de parias
E nos chama:

"Venham abençoados do PAI"

(A Alma para assustada ao ouvir o poema. Entra o evangelista)


Evangelista- O que te falta é nascer de novo!

Alma- Quem é você? E que coisa estranha é essa que você está falando?

Evangelista- Eu? Sou a voz que está anunciando nos desertos: “Eu trago boas novas para todos os seres humanos, hoje é o dia agradável, o dia em que o Senhor  receberá  todos vocês em seus átrios eternos”. E quanto ao que antes eu disse, que te falta nascer de novo...( a alma o interrompe)

Alma- E como eu poderia nascer novamente? Retornar para o ventre da minha mãe sendo já adulta?!

Evangelista- Eu falei em nascer de novo, mas não da carne, mas do Espírito!

Alma- Isso é loucura! Uma coisa dessas não é possível! Se morrer, está morto, acabado, já era...ou será que não? Como alguém poderia nascer novamente, como? Me diga!

Evangelista- Algum tempo atrás, numa pequena aldeia de Belém da Judéia, o menino Jesus, inocente e indefeso, estava deitado numa manjedoura. Ele, cuja alma estava destinada a ser o resgate... (Entra a religião e um soldado)

Religião- Cala essa boca seu...seu... seu rufião! Seu amigo de prostitutas, ladrões e drogados! (Aproxima-se).Você está de novo semeando essas fantasias? O que você deseja com esses sonhos loucos? Volte p’ra a sarjeta com seus amigos de rua!

Evangelista- Sim, são meus amigos todos os excluídos, porque são esses que recebem meu Mestre. Eu não proclamo fantasias como você. Prego a verdade de Deus...

Religião- A verdade, (risos) o que é a verdade? Como você tem a pretensão de pensar que conhece a verdade? Você tem formação teológica? Em que instituição? Você conhece os temas complexos da Filosofia? Diga-me seu ignorante, qual é a natureza do Tempo? E qual a natureza do Ser? Porque se cala? Estou vendo que não sabe! (Diz ao soldado) Tire esse idiota da minha frente!  (Fala a parte com o Soldado) Cause muitos ferimentos nele, amarre-o num tronco e coloque fogo sob seus pés. Depois quebre seus ossos e espalhe-os sobre o mar para vermos se os peixes se convertem. (sai o soldado levando o evangelista que canta ”mais perto quero estar, meu de ti....)

Alma- Minha Senhora, o que fez este homem para que mereça isto? Ele não está apenas querendo ajudar as pessoas?

( Antes de responder a religião põe uma cadeira no centro do palco , onde faz a alma sentar)

Religião- Filha, (suspira)  não precisamos de mais idéias metafísicas, esses tagarelas vem com suas ilusões tentando desencaminhar os meus filhos, que atrevimento! Tudo o que vocês precisam eu dou, nada falta a vocês! Eu tenho a verdade, quem precisa de outras verdades.

Alma- Se você tem realmente a verdade então me diga, o que poderia ser feito por mim ?

Religião- Filha, que negativismo! Olha p’ra mim, perceba quem eu sou (a alma olha para a religião sem entender nada ). Eu sou a senhora do mundo, nasci no primeiro fogo da antiguidade, assumi mil formas e mil faces, estou presente em todas as terras, para mim convergem todos os paradoxos, crio o paraíso e abro a perdição, países inteiros estão aos meus pés. Por mim os homens fazem caridade e matam-se também. Mas o importante e que morrem felizes, pois vão para um paraíso de virgens[1] com olhos grandes, ou reencarnam[2]  em outros corpos para tentar novamente, de homens, de animais, de insetos, de pedras, árvores, quem liga  se querem ser deuses[3]? Isso é que é nascer de novo! Eu lhes dou essa liberdade. A liberdade da ilusão.

Alma- Estou cansada de ilusões, de mentiras, de sonhos celestes...

Religião- Ah, entendi! Eu sei exatamente o que você precisa: você quer a virtude na terra. Isso é fácil! Eu tenho uma coisa assim também. Se você não quer deuses eu te ofereço os dogmas terrenos. O espírito religioso está em toda parte, está nas idéias políticas  que levam a revoluções sangrentas. Está no ateísmo que crê num  não-deus, é preciso muita fé para isso! Talvez você esteja interessada num credo cientifico? Aqui tem um: Creio no acaso absoluto que deu origem a tudo que existe. Creio que tudo estava contido num ponto minúsculo. Creio na grande explosão que lançou esse material por todo lado. Creio que toda a matéria estava dispersa por aí. Creio que a matéria se condensou, formando os corpos espaciais. Creio que a terra surgiu por mero acaso nesta região do espaço. Creio que a vida se formou por acaso na sopa primordial do que não vive[4]... (entra a Riqueza)
  
Riqueza- Fala tanto e não sabe o que diz!

Religião- Como você ousa me interromper? 

Riqueza- Você já falou demais e não convenceu esta pobre alma. Se você é justa como diz, deixe que eu tente. Se é que você tem coragem para isso...( A religião dá de ombros e senta-se) então minha filha o que você acha que aprendeu?(pergunta para a alma) 

Alma- Que a religião se alimenta de ilusão!

Riqueza- Uau! Disse muito bem: a religião se alimenta na ilusão. Parabéns! Não é assim comigo, eu não ofereço o céu, ofereço a terra. Adquirir bens é o fim para que se destinam os homens. O Homem foi feito para acumular, sem isso nosso mundo não se desenvolve. Veja um homem muito rico, esse sim é importante! O seu valor não está no que ele pensa, mas sim no que ele tem. P’ra ele não há portas fechadas e todos se dobram respeitosos diante dele! Dinheiro, muito dinheiro. Bens minha filha! Grana!  Até o céu dos ingênuos é revestido de ouro[5]. Avalie o valor que tem as riquezas em nossa sociedade e tente negar que o capitalismo é o senhor dos senhores do mundo! Eu te pergunto, hoje o que você pode fazer sem dinheiro? Até a religião depende de mim. Veja como seus templos são ricamente adornados, seus pomposos sacerdotes com seus trajes suntuosos! Sim filha, me receba como o mais alto ideal de sua vida e você terá a religião aos seus pés. Você vestida com ouro, prata e pedras preciosas. E até os altos governantes vão te chamar de “senhora”. (Entra o poder)

Poder- E você acredita nessa Senhora alma aflita? 

Riqueza- Ah não! O que você quer aqui? Ainda não terminei a minha pregação. 

Poder- Fica aí de blá blá blá. Você já teve a sua chance, não seja tão avarenta! Deixe que eu mostrarei a verdade a esta alma. O que você me diz alma?

Alma- Vocês querem me confundir com tantas palavras! Mas estou indefesa, que posso eu? Falem! (A riqueza move a cabeça em sinal de indignação e senta-se)

Poder- Essas duas senhoras encheram a sua cabecinha de argumentos, mas argumentos falaciosos[6]! Pense comigo, raciocina alma! Qual a razão de um homem se declarar sacerdote e colocar-se como mediador do além? É o puro desejo de dominar, ou seja, desejo de poder! Ainda te pergunto, para que servem as riquezas? Eu te digo, para adquirir poder! O poder traz todas estas coisas, o poder é tudo.! O desejo primário do homem é dominar o próprio homem e o seu desejo final é dominar o mundo! A história está cheia de exemplos disso: Nabucodonosor, rei da Babilônia, Ciro da Pérsia, Alexandre da Macedônia, Júlio César de Roma, Átila dos Hunos, Carlos Magno, Napoleão, Hitler, todos esses homens buscaram poder e o alcançaram! Entregue a mim o seu amor filha, e eu escreverei o seu nome na coluna da história ao lado de todos os grandes homens e mulheres desse mundo. (uma gargalhada e entra o prazer) 

Prazer- Mas não é que você fala como se fosse um deus! Pena que na verdade é um demônio que procura seduzir as pessoas simples com promessas falsas! 

Poder- Imprudente, você tem a ousadia de me chamar de demônio ? Eu farei com que você engula estas palavras! Vou sentar a mão na tua cara! 

Alma- Mas eu não vi você agora a pouco exigindo seu direito de falar Poder? Deixe que agora ele fale.

Poder- Por enquanto... (senta) 

Prazer- Eu, minha querida alma, não te chamo de filha mas de “irmã” porque em mim todos são verdadeiramente iguais! Eu, o prazer sou a verdade que você procura. Religião, Riqueza e Poder existem apenas para me satisfazer. Eu sou a coluna que mantêm o mundo em pé! Eu sou o motor das conquistas! Eu sou a satisfação ilimitada! Eu ofereço a você todos os prazeres sensíveis e psicológicos. Eu crio as drogas, as orgias, a aventura que leva o espírito humano muito além do que você pode imaginar! Se você se interessar eu tenho prazer artificial: Cocaína, Ecstasy, LSD. Quem sabe você é uma pessoa de requinte, p’ra você eu tenho prazeres naturais: uma explosão de adrenalina, endorfina e dopamina no seu cérebro! Vou te deixar doida, doida! Você quer prazeres físicos? Você tem a luxúria à tua vontade. Você não aceita um chá alucinógeno? Quem sabe uns cogumelos do campo ou o ayahuasca[7]  da Amazônia ? Maconha, heroína, crack, tudo...tudinho será seu! Me ame e talvez você morra cedo mas o que viver viverá plenamente !

 Religião- E então alma, o que você decide,  quem de nós você escolhe?

Riqueza- Será a mim?

Poder- Ou a mim ?

Alma - Estou indecisa, muito indecisa... Por favor, me deixem um pouco sozinha para que eu pense no que vocês me disseram. Tudo é muito complicado para mim, mas espero logo decidir e então me entregarei a quem mereça o meu amor.

Religião- Nós te daremos algum tempo minha filha, afinal você é uma pessoa muito inteligente, um espírito esclarecido! Você saberá escolher com sabedoria ( leva os outros três a parte e lhes diz) deixemos que a tola escolha, mas se ela não fizer a sua escolha por perceber que somos todos uma só coisa, nós a pegaremos e  lhe faremos o que bem quisermos e depois deixaremos seu corpo inerte apodrecendo ao sol.
(Saem a religião, a riqueza, o poder e o prazer).

Alma- Agora sim me vejo em desespero, pois estas raposas querem me devorar! O que farei? Logo percebi que tinha algo errado com essa falação toda! Ah, onde estaria aquele meu pobre evangelista! Agora entendo que você era o único sincero e que por minha causa está sofrendo alguma coisa terrível! Talvez esteja morto ou muito ferido. Se eu pudesse fazer voltar o tempo ia te fazer tantas perguntas! Eu não te deixaria até saber tudo. São tantas coisas que eu sinto que deveria saber, como se alguém me falasse no íntimo de uma verdade que não posso entender! E você não está aqui para me explicar! Agora Alma que você rejeitou o bem, terá o que merece nas mãos desses predadores. Lá vem as sombras da morte! Parecem uns urubus descendo sobre a carniça.

(Entram a Religião, a Riqueza , o Poder e o Prazer.)

Religião- O tempo corre minha filha! O que você decidiu? De quem será o teu eterno amor?

Alma- O que eu decidi? E vocês me deram alguma escolha realmente? A única coisa que eu decidi é dizer que não tenho parte com vocês em coisa alguma! Eu sei muito bem que vocês estão tentando me enganar e se vocês querem mesmo saber, terras estéreis, eu rejeito a todas! Como vocês podem falar em amor hipócritas? Logo vocês que devoram a terra com tanta fúria?

Você realmente pensa que me enganou Religião? Eu sei exatamente o que você é, você vem com esse papo de “conciliar contradições”. Você é a face do mal, quer me fazer crer que a verdade é relativa. A verdade[8] por sua própria natureza é absoluta. Eu rejeito seu erro! E você riqueza, pensa me enganar como? Fique sabendo que o valor de um homem não está no que ele tem, mas sim em quão honestamente ele vive! Correr a vida toda atrás de bens que ficam quando morremos é o mesmo que construir castelos de areia à beira da praia. A pessoa nunca está satisfeita e as ondas nunca dão trégua! Estou satisfeita com o que tenho. Se eu puder ter uma vida mais cômoda eu a terei, mas através do meu trabalho e sem sacrificar minha vida nisso! Eu rejeito essa loucura!

E você Poder? Pensa que pode realmente alguma coisa? Deus é quem pode, você se ilude! Onde estão esses grandes homens que você usou como exemplos? Nabucodonosor [9] comeu grama por sete anos! Ciro morreu e jaz esquecido em algum lugar, Alexandre foi levado por uma febre em Babel[10]. César foi assassinado por seu próprio filho Brutos[11], e os outros onde estão ?
No esquecimento! Rejeito essa besteira!

Prazer, você é o mais ilusório de todos, pois uma dor de cabeça te torna inútil. Quantos pensaram te possuir quando eram na verdade escravos! Escravos de um estilo de vida que os levou à morte, à desilusão, à tristeza, dor e abandono. Quantos você não jogou nas sarjetas, secos, exauridos das suas vidas! E quantos deles, enlouquecidos por você, não deram cabo da própria existência! Perderam famílias, casas e a dignidade. O Prazer irresponsável é como a chama de uma vela, depois que o pavio queima por completo o fogo se extingue! Eu te rejeito!

Religião- Você acha que tem alguma liberdade de nos rejeitar sua  ingrata? Você receberá seu pagamento por essa ousadia! Agarrem-na!
(Jogam a alma de um lado para o outro, batem-lhe, lançam-lhe ao chão)

Alma- Quem seria capaz de me livrar desse terror ?

Narrador oculto em voz alta:

O evangelho está vivo,
A sua doce voz é ouvida nas praças
Ele é seguido por muitos
Que se aninham sob seus braços
Ele derruba as barreiras
E diz a todo ser humano
Que há esperança!
Há esperança!
O choro pode durar toda uma noite
Mas a alegria vem com a manhã!
O evangelho está vivo, ele clama nas praças
Clama a quem quiser ouvir!

EU SOU! (Uma voz bem alta, as atacantes caem ao chão, Jesus entra com o evangelista e vai até onde a alma esta caída).

Alma- Senhor! eu não sou digna do seu amor, eu não dei ouvidos às palavras do teu servo.

Jesus- Eu não te rejeito! Eu sou o bom pastor, e o bom pastor dá a vida pelas ovelhas. Os outros são mercenários. Eu estou à porta do teu coração e bato, se você abrir a porta eu entrarei e viverei eternamente com você! Aquele que vier até mim não será rejeitado! Eu sou o caminho, a verdade e a vida!

Evangelista- Esse é o dia agradável, o dia da salvação! Não rejeite esse dia e não pense que ele está longe de você, pois todo dia em que você está vivo é o dia certo para a sua salvação! Deus não espera que você seja santo, ou perfeito, nem mesmo bom para que possa te amar. Ele aceita você como você é, e aceita o desafio de fazer de você alguém que o agrade. Ele cuida de você, ele te cura e te ensina. Ele faz a mudança em você. Ele te ama sem pedir nada além da sua fé no sacrifício de Jesus como o único sacrifício necessário!  Deus ama de tal forma este mundo a ponto de ter dado seu filho unigênito para que todo aquele que nEle crê não pereça mas tenha a vida eterna!

Alma- Senhor, eu acredito! Senhor eu abro a porta, entra em minha vida Senhor!
(Jesus coloca a alma em pé)

Jesus- Venha alma abençoada por Deus Pai. Receba por herança o reino que está preparado para você desde a fundação do mundo! (saem Jesus e a alma)

Evangelista- Se hoje você ouviu a voz de Deus, não endureça o seu coração. Seja prudente e construa a sua casa sobre a Rocha que é Jesus Cristo e não confie seu coração a coisas como essas (aponta para as caídas) algo delas até é licito[12], pois elas misturam verdade com erro. O natural com o exagero. Mas não sejam elas o objetivo da sua vida, pois elas passam como o dia de ontem! (sai o evangelista).




FIM




[1] Paraíso de virgens com olhos grandes: concepção islâmica do Paraíso.
[2] Reencarnam: a transmigração das almas é crença de varias religiões. O Espiritismo ensina que os homens reencarnam  em corpos humanos já o Hinduismo aceita a metempsicose em corpos de animais. Grupos animistas da África acreditam que as almas encarnam em seres inanimados (árvores, pedras, cachoeiras, etc.).
[3] Crença do Mormonismo.
[4] Crença evolucionista de que os seres vivos surgiram por acaso  de elementos sem vida.
[5]As ruas serão de ouro na nova Jerusalém. 
[6] Sofisma: argumentação que visa induzir ao erro, engano, logro.
[7] Aiahuasca: também chamada “huasca”planta com características alucinógenas usada  nos rituais da seita “Santo Daime”  e que propiciaria viagens fora do corpo.
[8]Verdade: cabe aqui o que Jesus afirmou “Eu sou a verdade”, não uma verdade mas a verdade.
[9] Ver Daniel 4.
[10] Alexandre Magno morreu na Babilônia, de uma “febre”.
[11] Júlio César  teve a infelicidade de ver entre seus assassinos seu filho adotivo Brutos.
[12]Há algumas verdades misturadas aos seus erros. 

terça-feira, 26 de julho de 2011

Peça O Filho Pródigo


Peça-jogral baseada na passagem do filho pródigo segundo o texto bíblico da Nova Versão Internacional


O FILHO PRÓDIGO

LC 15:11-13


Narradores 1, 2, 3


1 – Hoje vamos contar uma história, que Jesus certa feita narrou.
2 – Um homem tinha dois filhos...
3 – Um dia o mais jovem lhe falou:
Pródigo – Pai, eu quero a minha parte na herança.
Pai – Mas filho...
Pródigo – É meu direito!
1 – Assim ele repartiu seus bens entre eles.
2 -  Não muito tempo depois, o jovem reuniu tudo o que tinha.
(Aparece o pródigo com uma trouxa, pronto para sair).
Pai – Aonde vai meu filho?
Pródigo – Vou viver minha vida...adeus meu pai.
(Sai pela porta lateral e entra pela frontal)
3 – O jovem partiu para um país distante.
1 – Ali chegando, o jovem começou a viver irresponsavelmente.
(Aparece o pródigo chegando no lugar, os jovens o recebem porque vêem que tem dinheiro, fazem uma cena sem palavras e saem pela porta lateral).
2 – O tempo passa e depois de tantas orgias, o dinheiro acaba.
Pródigo – Não tenho dinheiro, vou procurar meus amigos.
(Entra pela porta lateral, fala com os amigos, eles não querem nada com ele, saem todos pela porta lateral).
3 – Houve uma grande fome naquele lugar e o rapaz começou a passar necessidade.
(O jovem entra pela porta frontal, pedindo ajuda, sem sucesso).
1 – Por isso procurou um homem daquela terra, que o mandou pastorear seus porcos.
(Faz-se esta cena).
2 – Enquanto cuidava dos porcos, sentiu vontade comer a comida dos animais, tanta era a sua fome.
3 – Percebendo a situação em que se encontrava, lembrou-se de quando vivia com seu pai.
Pródigo – Quantos trabalhadores de meu pai tem comida de sobra e eu aqui, morrendo de fome!
(Senta e abaixa a cabeça).
Pródigo – Voltarei para casa, para meu pai e lhe direi: “Pai, pequei contra o céu e contra o senhor, eu não sou digno de ser chamado seu filho, aceite-me como um de seus empregados”.
1 – O jovem levantou-se com grande pesar, muito arrependido e foi para a casa de seu pai.
(Sai pela porta lateral da igreja e entra pela frontal).
(O pai está de joelhos orando, o pródigo grita:)
Pródigo – Pai!!!
(O pai levanta, corre e abraça o filho).
Pródigo - Pai, pequei contra o céu e contra o senhor, eu não sou digno de ser chamado seu filho!
Pai – Servos, servos!
(Os servos se apresentam).


Pai – Traga a melhor roupa e vistam-no, dêem-lhe um anel e calcem seus pés.
(Eles vestem-no).
Pai – Vamos comemorar, pois este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.
2 – O filho mais velho estava no campo, mas ao ouvir o som da festa, voltou logo para casa.
(Filho mais velho entra pela porta frontal).
(Pergunta a um dos servos que vai encontrá-lo:)
FMV – O que está acontecendo?
Servo – Seu irmão mais novo voltou e seu pai, mandou fazer esta festa por tê-lo recebido são e salvo.
(FMV fica irritado, o pai vem falar com ele).
FMV – O que é isso meu pai, eu sempre trabalhei como um escravo, jamais desobedeci as suas ordens e mesmo assim, o senhor nunca me deu um cabrito para festejar com meus amigos. Agora que volta esse seu filho que esbanjou todos os seus bens, o senhor faz uma festa pra ele!
Pai – Meu filho, você sempre esteve comigo e tudo o que tenho é seu, nós tínhamos que comemorar, pois este seu irmão, estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.
3 – O pai representa Deus, que está sempre pronto a receber seus filhos de braços abertos.
1 – O filho mais velho, representa aqueles que estão junto de seu Pai e esqueceram seus irmãos que sofrem.
2 – O filho pródigo representa todo homem que está afastado de Deus e que sofre neste mundo.
1 – O Pai está de braços abertos.
2 – Com amor Ele te espera!
3 – Ó filho pródigo...
Todos – Vem!!!

Autor: Isaías Gonçalves de Oliveira 

Shalom!

Seja Bem Vindo (a) meu (minha) amigo(a), fique a vontade para copiar o que te interessar e distribuir. Apenas peço que cite a fonte. No mais que Deus te abençoe com todas as benção espirituais em Cristo!

(No fim da página você pode deixar um recado para mim, além dos comentários habituais.)